Leituras Online  

A VITÓRIA DO DEUS DE ISRAEL

0 Comentáros
195
11 Jan 2018

A VITÓRIA DO DEUS DE ISRAEL

Dr. William Soto Santiago

Sexta-Feira, 04 de maio de 2007

Goiânia, Goiás, Brasil


Muito boa noite, amados amigos e irmãos presentes, e os que estão através do Satélite Amazonas ou da Internet em diferentes nações. Que as bênçãos do Eterno, Criador dos Céus e a Terra, sejam sobre vocês. 

Para esta ocasião, vamos ler o caso do Profeta Elias, no capítulo 18 de Primeiro de Reis, verso 20 em diante. Depois vocês podem ler... Vamos começar no 17 para ter o quadro claro... Parece que temos que começar antes. O 14. É que todo o capítulo é muito importante. Primeiro de Reis, capítulo 18, verso 14 em diante, diz:

“E agora dizes tu: Vai, dize a teu senhor: Eis que Elias está aqui; ele me mataria.”

Ou seja, isto está dizendo um oficial muito grande do exército de Acabe. E Acabe já tinha mandado outros capitães com cinqüenta soldados, e Elias já tinha mandado descer fogo do Céu, e tinham morrido.

Mas agora vem este, e pede misericórdia; e lhe diz tudo o que fez a favor dos Profetas de Deus. E agora, pede que Elias não faça como tinha feito com os outros capitães que tinham vindo com cinqüenta soldados cada um, anteriormente. E Elias tinha dito: “Se sou servo de Deus, desça fogo do Céu e os consuma!” E assim aconteceu. E este já sabia o que tinha se passado, e era temente a Deus, e tinha ajudado aos Profetas de Deus; tinha ajudado a cem varões de Deus, dos filhos dos Profetas:

“E disse Elias: Vive o SENHOR dos Exércitos, perante cuja face estou, que deveras hoje me apresentarei a ele (se mostraria a Acabe; o rei) .

Então foi Obadias encontrar-se com Acabe, e lho anunciou; e foi Acabe encontrar-se com Elias.

E sucedeu que, vendo Acabe a Elias, disse-lhe: És tu o perturbador de Israel?

Então disse ele: Eu não tenho perturbado a Israel, mas tu e a casa de teu pai, porque deixastes os mandamentos do SENHOR, e seguistes aos Baalins.

Agora, pois, manda reunir-se a mim todo o Israel no monte Carmelo; como também os quatrocentos e cinqüenta profetas de Baal, e os quatrocentos profetas de Asera, que comem da mesa de Jezabel.

Então Acabe convocou todos os filhos de Israel; e reuniu os profetas no monte Carmelo.

Então Elias se chegou a todo o povo, e disse: Até quando coxeareis entre dois pensamentos? Se o SENHOR é Deus, segui-o, e se Baal, segui-o. Porém o povo nada lhe respondeu.

Então disse Elias ao povo: Só eu fiquei por profeta do SENHOR, e os profetas de Baal são quatrocentos e cinqüenta homens.

Dêem-se-nos, pois, dois bezerros, e eles escolham para si um dos bezerros, e o dividam em pedaços, e o ponham sobre a lenha, porém não lhe coloquem fogo, e eu prepararei o outro bezerro, e o porei sobre a lenha, e não lhe colocarei fogo.

Então invocai o nome do vosso deus, e eu invocarei o nome do SENHOR; e há de ser que o deus que responder por meio de fogo esse será Deus. E todo o povo respondeu, dizendo: É boa esta palavra.

E disse Elias aos profetas de Baal: Escolhei para vós um dos bezerros, e preparai-o primeiro, porque sois muitos, e invocai o nome do vosso deus, e não lhe ponhais fogo.

E tomaram o bezerro que lhes dera, e o prepararam; e invocaram o nome de Baal, desde a manhã até ao meio dia, dizendo: Ah! Baal, responde-nos! Porém nem havia voz, nem quem respondesse; e saltavam sobre o altar que tinham feito.

E sucedeu que ao meio dia Elias zombava deles e dizia: Clamai em altas vozes, porque ele é um deus; pode ser que esteja falando, ou que tenha alguma coisa que fazer, ou que intente alguma viagem; talvez esteja dormindo, e despertará.

E eles clamavam em altas vozes, e se retalhavam com facas e com lancetas, conforme ao seu costume, até derramarem sangue sobre si.

E sucedeu que, passado o meio dia, profetizaram eles, até a hora de se oferecer o sacrifício da tarde;  porém,  não houve voz,  nem resposta, nem atenção alguma.

Então Elias disse a todo o povo: Chegai-vos a mim. E todo o povo se chegou a ele; e restaurou o altar do SENHOR, que estava quebrado.

E Elias tomou doze pedras, conforme ao número das tribos dos filhos de Jacó, ao qual veio a palavra do SENHOR, dizendo: Israel será o teu nome.

E com aquelas pedras edificou o altar em nome do SENHOR; depois fez um rego em redor do altar, segundo a largura de duas medidas de semente.

Então armou a lenha, e dividiu o bezerro em pedaços, e o pôs sobre a lenha.

E disse: Enchei de água quatro cântaros, e derramai-a sobre o holocausto e sobre a lenha. E disse: Fazei-o segunda vez; e o fizeram segunda vez. Disse ainda: Fazei-o terceira vez; e o fizeram terceira vez;

De maneira que a água corria ao redor do altar; e até o rego ele encheu de água.

Sucedeu que, no momento de ser oferecido o sacrifício da tarde, o profeta Elias se aproximou, e disse: Ó SENHOR Deus de Abraão, de Isaque e de Israel, manifeste-se hoje que tu és Deus em Israel, e que eu sou teu servo, e que conforme à tua palavra fiz todas estas coisas.

Responde-me, SENHOR, responde-me, para que este povo conheça que tu és o SENHOR Deus, e que tu fizeste voltar o seu coração.

Então caiu fogo do SENHOR, e consumiu o holocausto, e a lenha, e as pedras, e o pó, e ainda lambeu a água que estava no rego.

O que vendo todo o povo, caíram sobre os seus rostos, e disseram: Só o SENHOR é Deus! Só o SENHOR é Deus!

E Elias lhes disse: Lançai mão dos profetas de Baal, que nenhum deles escape. E lançaram mão deles; e Elias os fez descer ao ribeiro de Quisom, e ali os matou.

Então disse Elias a Acabe: Sobe, come e bebe, porque há ruído de uma abundante chuva.

E Acabe subiu a comer e a beber; mas Elias subiu ao cume do Carmelo, e se inclinou por terra, e pôs o seu rosto entre os seus joelhos.

E disse ao seu servo: Sobe agora, e olha para o lado do mar. E subiu,  e olhou,  e disse:  Não há nada.  Então  disse  ele:  Volta  lá  sete vezes.

E sucedeu que, à sétima vez, disse: Eis aqui uma pequena nuvem, como a mão de um homem, subindo do mar. Então disse ele: Sobe, e dize a Acabe: Aparelha o teu carro, e desce, para que a chuva não te impeça.

E sucedeu que, entretanto, os céus se enegreceram com nuvens e vento, e veio uma grande chuva; e Acabe subiu ao carro, e foi para Jizreel.

E a mão do SENHOR estava sobre Elias, o qual cingiu os lombos, e veio correndo perante Acabe, até à entrada de Jizreel.”

“A VITÓRIA DO DEUS DE ISRAEL.”

O desafio de Elias no Monte Carmelo trouxe a grande vitória do Deus de Israel. O povo tinha se apartado de Deus, mas, com esta grande vitória do Deus de Israel (que respondeu com fogo), Deus tornou o coração: do povo para Ele, para Deus.

E o que isto tem a ver com este tempo? Podemos ver que para este tempo, conforme a Malaquias, capítulo 4, Deus tornará o coração dos pais aos filhos. Isto está em Malaquias, capítulo 4, onde nos diz... Verso 5 em diante –  ou, verso 4 em diante. Diz:

“Lembrai-vos da lei de Moisés, meu servo, que lhe mandei em Horebe para todo o Israel, a saber, estatutos e juízos.

Eis que eu vos enviarei o profeta Elias, antes que venha o grande e terrível dia do SENHOR”

Antes que venha a grande tribulação (o dia do juízo divino) o Profeta Elias estará na Terra. Temos a manifestação do ministério de Elias em Elias, o Tisbita... Isso não é outra coisa, senão, o ministério do Espírito Santo (do Anjo do Pacto) operado por Deus através de Seu Anjo (o Anjo do Pacto), manifestando-se em Elias, o Tisbita.

O Anjo do Pacto é o Espírito Santo; é Cristo em Seu corpo angelical.

E agora, Deus, por meio de Cristo em Seu corpo angelical (que, em palavras mais claras, é: Deus por meio de Seu Espírito) estava em Elias, o Tisbita. Para entendermos melhor isto leiamos o capítulo 7 de Zacarias, para que vejamos como Deus fazia. Diz: [vs. 11-12]

“Eles, porém, não quiseram escutar, e deram-me o ombro rebelde, e ensurdeceram os seus ouvidos, para que não ouvissem.

Sim, fizeram os seus corações como pedra de diamante, para que não ouvissem a lei, nem as palavras que o SENHOR dos Exércitos enviara pelo seu Espírito...”

Como Deus enviava Sua Palavra a Israel? Por meio de Seu Espírito Santo (que é o Anjo do Pacto, o Anjo de Jeová) através dos primeiros Profetas. Deus por meio do Anjo do Pacto, que é Cristo em Seu corpo angelical; e, que é o Espírito Santo.

Um espírito é um corpo parecido com o nosso corpo, mas de outra dimensão. Todos sabem que esse Anjo do Pacto é o Espírito Santo. E Deus, por meio do Anjo do Pacto, do Espírito Santo, manifestava-se nos Profetas; ou seja, tomava esses véus de carne, e, através deles falava ao povo de Israel.

Esse Anjo do Pacto é o mesmo Varão com o tinteiro de escrivão em sua cintura, que foi enviado a selar no tempo em que Jerusalém ia ser destruída. Esse Varão com o tinteiro de escrivão em sua cintura é o Espírito Santo; é Cristo em Seu corpo angelical. E no Dia de Pentecostes desceu para selar com o tinteiro de escrivão; selar a todos aqueles que receberiam a bênção do Selo do Espírito Santo. Esse Varão com o tinteiro de escrivão em sua cintura (de Ezequiel, capítulo 9) é Cristo em Seu corpo angelical; o qual é o Espírito Santo; o qual falava por meio dos Profetas:

“...nem as palavras que o SENHOR dos Exércitos enviara pelo seu Espírito por intermédio dos primeiros profetas (estou citando de novo) ; daí veio a grande ira do SENHOR dos Exércitos.”

Quando as pessoas não escutam a Voz de Deus por meio do Espírito Santo, através dos Profetas de Deus, dos Mensageiros de Deus, vem grande aborrecimento, e ira, e juízo da parte de Deus para o povo; mesmo que seja o povo de Deus. Agora podemos ir compreendendo este mistério, onde Deus enviará a Elias.

Elias, o Tisbita, tinha o Espírito Santo manifestado nele; ou seja, o Anjo do Pacto, através do qual Deus falava e se manifestava no Profeta Elias. As visões que ele tinha lhe eram dadas pelo Anjo que o acompanhava: o Anjo de Jeová, no qual estava Deus.

E agora, esse mesmo Anjo do Pacto (que é Cristo em Seu corpo angelical, e, que é o Espírito Santo),  depois se manifestou em Eliseu, no qual veio numa dupla porção do Espírito que estava em Elias.

Os filhos dos profetas ao verem o que Eliseu fez (abrindo o Jordão com o manto de Elias), disseram: “O Espírito de Elias repousou sobre Eliseu!” Estava fazendo o mesmo que Elias, o Tisbita tinha feito: estava abrindo o Jordão. Depois veio pela terceira vez em João Batista; e estava no Jordão, batizando as pessoas, e precursando a Primeira Vinda de Cristo. Depois, pela quarta vez...

Vejam, essas duas primeiras vezes veio no meio das dez tribos do Norte, das quais se diz que são as tribos perdidas de Israel. Ou seja, o reino do Norte, que é chamado: “o Reino de Israel”; porque o reino do Sul é chamado: “o reino de Judá”. O Reino de Davi foi dividido em dois reinos.

E agora, pela terceira vez veio no meio do reino do Sul, manifestado num descendente da ordem sacerdotal, sendo filho do sacerdote Zacarias. Veio precursando a Primeira Vinda de Cristo; do Messias. Em palavras mais claras: veio precursando, e, preparando ao povo, portanto, para a Vinda de Emanuel: de Deus, que viria no meio do povo. Como viria? Em Seu Anjo: o Anjo do Pacto, que é o corpo angelical de Deus; e apareceria vestido de carne humana num corpo que Ele criaria numa virgem descendente do rei Davi, e então seria Emanuel, que traduzido é: “Deus Conosco”; e estaria identificado como um descendente do rei Davi, porque Ele é a raiz e a linhagem de Davi.

Assim aconteceu. João Batista disse: “Depois de mim vem um maior do que eu.” Também disse: “O qual é primeiro que eu.” E era mais novo por seis meses. Mas no corpo angelical é primeiro que toda a Criação; é antes da Criação. É eterno.

E agora, João Batista tornou o coração dos pais aos filhos: o coração dos que estavam sob a Lei à fé dos filhos de Deus; ou seja: à fé Cristã. Tornou o coração à fé de Cristo. E, portanto, tornou o coração à fé Cristã sob a Dispensação da Graça, onde os pais entrariam à fé dos filhos: dos filhos e filhas de Deus; a fé no Messias; no Cristo feito carne no meio do povo hebreu. A promessa em Malaquias 3, verso 1, diz:

“Eis que eu envio o  meu  mensageiro, o  qual  preparará  o caminho diante de mim (ou seja, estaria lhe preparando o caminho; anunciando que depois dele, o próximo Profeta e Ministério seria o do Messias) ...”

E agora, Aquele que o envia diz que Ele o envia diante d’Ele, e, portanto, antes que Ele. Sendo assim, estará falando do que vem depois dele, por isso disse: “Depois de mim vem um maior do que eu, do qual eu não sou digno de desatar a correia do seu calçado.” Diz que é primeiro que ele; ainda que era mais novo do que João fisicamente por seis meses. E disse: “No meio de vós está um, ao qual vós não conheceis.” Mas João o conheceria porque veria o Espírito Santo vindo sobre Ele. E quando o batizou viu o Espírito Santo que repousou sobre Ele, e disse: “Este é Ele!” As outras pessoas não viram nada, mas João Batista sim, pois era Profeta e podia ver em outra dimensão e podia escutar o que foi dito; as demais pessoas escutariam um trovão; mas era a Voz de Deus falando. E depois disse: “Eis aqui o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo.” Está dizendo que esse é o Sacrifício da Expiação pelo pecado, e, que Esse é aquele Cordeiro que foi sacrificado no Egito representando ao Messias.

E agora, o Messias, que foi representado naquele cordeiro pascal, aparece para tirar o pecado do mundo; o Sangue da Pessoa de Cristo limpar a pessoa de todo pecado; e preservar a vida dessas pessoas, dando-lhes Vida eterna. Portanto, sua vida será preservada para toda a eternidade no Reino do Messias. Segue dizendo:

“E de repente virá ao seu templo o Senhor, a quem vós buscais (o Senhor Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó), e o anjo do pacto...”

Vêem? O Anjo de Jeová viria; o Deus Eterno em – ou seja: dentro de Seu Anjo; dentro desse corpo angelical onde Deus estava. E quando esse Anjo apareceu aos homens de Deus do passado (de Adão em diante) eles diziam: “Vimos a Deus face a face.” Esse Anjo se identificava como o Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó, porque era Deus em Seu corpo angelical, nesse corpo teofânico.

E agora, viria o Senhor, Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó; “e” o Anjo do Pacto.  Ou seja, Deus dentro do Seu corpo angelical. E João Batista (que era esse Mensageiro que Lhe prepararia o caminho) o apresentaria ao povo. Por isso João falava de um que viria depois dele, o qual era maior do que ele, e que estava no meio do povo. Isto é muito importante. João sabia que estava no meio do povo; que já tinha nascido, e que já era tempo para começar Seu Ministério.

Quando chegou o precursor, para preparar o caminho ao que viria depois dele, João sabia que já tinha que ter nascido; não ia preparar o caminho a um menino, senão, a um que teria um Ministério Messiânico para cumprir as profecias correspondentes para aquele tempo.

Recordem a José subindo como segundo no reino do faraó. E vamos ver quantos anos tinha. Isso está em Gênesis 41, verso 45 em diante:

“E Faraó chamou a José de Zafenate-Panéia...”

E aqui diz que significa: “O que revela as coisas secretas”. Uma explicação aqui, que é dada nesta parte. [NT – No rodapé da Bíblia]

“e deu-lhe por mulher a Azenate, filha de Potífera, sacerdote de Om; e saiu José por toda a terra do Egito.

E José era da idade de trinta anos quando se apresentou a Faraó, rei do Egito. E saiu José da presença de Faraó e passou por toda a terra do Egito.”

Quanto tinha? Trinta anos. Vamos ver algo que nos pode ajudar a compreender algo muito importante que não se nos deve passar por alto. Vamos ver se o conseguimos aqui, pois diz, no capítulo... Primeira de Reis, capítulo 2, verso 10 ao 11:

“E Davi dormiu com seus pais, e foi sepultado na cidade de Davi.

E foram os dias que Davi reinou sobre Israel quarenta anos: sete anos reinou em Hebrom, e em Jerusalém reinou trinta e três anos.”

 Sete anos mais trinta e três, são: quarenta.

Agora vamos ver [Primeiro] Crônicas 29, verso 26 em diante:

“Assim Davi, filho de Jessé, reinou sobre todo o Israel.

E foram os dias que reinou sobre Israel, quarenta anos; em Hebrom reinou sete anos, e em Jerusalém reinou trinta e três.

E morreu numa boa velhice, cheio de dias, riquezas e glória; e Salomão, seu filho, reinou em seu lugar.”

E agora, Davi tinha começado seu reinado sobre Judá aos trinta anos, e depois reinou por quarenta anos, e morreu; ou seja, viveu uns setenta anos.

E isso é viver e morrer cheio de dias. Setenta anos são muitos dias. Se multiplicar 70 por 365, são muitos dias. Assim diz que sucedeu com Davi: viveu muitos dias. Uma pessoa que chega a setenta anos viveu muitos dias.

Agora, o que passa de setenta anos e chega a oitenta, pois viveu mais dias; ou seja: mais dez anos. Diz que são setenta anos, e, os mais fortes oitenta anos [NT – Salmo 90:10]. Ou seja, uma pessoa que passa de setenta anos é forte; ainda que esteja bem magra.

Algumas vezes há pessoas que se vêem muito saudáveis, e, alguns bem velhinhos, e não chegam a setenta anos; ou seja, não foram tão fortes para chegar a setenta anos ou chegar a oitenta anos.

Se vocês buscarem depois em suas Bíblias, o tempo em que Davi foi ungido, vocês encontrarão que ele chegou à idade de trinta anos para começar seu reino. Quero ver se o posso conseguir... Tenho o 23, e o 5 também, de Segunda de Samuel... Segunda de Samuel 5:4:

“Da idade de trinta anos era Davi quando começou a reinar; quarenta anos reinou.”

E agora, a Escritura nos fala no Evangelho (vocês podem buscar aí), onde diz que Jesus tinha como trinta anos quando foi batizado. Qual é o lugar? Vamos ver para que o tenham. Quero que o tenham. Estamos num estudo bíblico. Lucas 3:23, diz:

“E o mesmo Jesus começava a ser de quase trinta anos, sendo (como se cuidava) filho de José, e José de Eli.”

E agora vejam, quando aparece no Ministério tem como trinta anos. Ou seja, estava na idade para começar Seu Ministério. Mas Ele tinha um trabalho muito importante para fazer: era realizar o Sacrifício da Expiação pelo pecado. Ele tinha que ter um ministério de três anos e meio nessa semana número setenta; e depois essa semana número setenta se deteve, porque isso tem a ver com o povo hebreu. E Deus começou a tratar com os gentios; e por isso depois o templo foi destruído. E a presença de Deus onde está? Tem estado no meio da Igreja do Senhor Jesus Cristo, movendo-se de Era em Era no Mensageiro correspondente a cada Era; falando através desse Mensageiro correspondente a cada Era, como fez através dos Profetas do Antigo Testamento; esses Mensageiros foram véus de carne como foram os Profetas do Antigo Testamento.

Ao final, Deus coroou lá todas essas manifestações vindo em Jesus; vindo em toda Sua plenitude, e, manifestando-se para realizar todo o Programa da Redenção do ser humano.

Deus coroará as manifestações que teve em Seus Mensageiros no meio de Sua Igreja vindo em Sua manifestação final para a Redenção física, que é a transformação do nosso corpo, e a ressurreição dos mortos em Cristo em corpos glorificados.

Sob essa manifestação final que foi chamada pelo reverendo William Branham: “A Terceira Etapa”, tudo isso coroará as sete Eras da Igrejae o Ministério do Espírito Santo nos diferentes Mensageiros,para que venha essa Terceira Etapa: o Fogo do Céu, Fogo do Espírito.

Para aquela manifestação, Elias reconstruiu o altar com as doze pedras. E cada pedra representa uma tribo. O altar era onde estava o sacrifício, e, onde o Fogo consumia o sacrifício.

Israel corresponde à parte do Átrio da Casa de Deus, onde estava o altar em que se colocava o sacrifício.A Igreja do Senhor Jesus Cristo durante a Dispensação da Graça corresponde ao Lugar Santo; e a Igreja do Senhor Jesus Cristo que tem estado composta por gentios e também por alguns judeus ou hebreus de diferentes tribos, durante as sete Eras, e, no tempo dos apóstolos também, para o tempo final, depois das Eras, estará na etapa da Era da Pedra Angular; e aí será a manifestação de Deus, onde Deus estará falando à Sua Igreja e depois ao povo hebreu.

Mas, o altar será reconstruído com as doze pedras, com as doze tribos. Isso corresponde a Elias em sua quinta manifestação, para que possa descer o Fogo com a bênção de Deus para Israel e para toda a humanidade; para a Igreja; para todos os crentes em Cristo.

Este é o tempo em que veremos o altar sendo restaurado, o qual corresponde ao Átrio.

E depois também vamos ver o Lugar Santo sendo restaurado com a ressurreição dos mortos em Cristo; e o Lugar Santíssimo, com a transformação dos vivos em Cristo. E toda a Casa de Deus, todo o Templo de Deus estará restaurado.

Por isso é que terá doze mil de cada tribo; e são doze tribos. Por isso o Anjo de Apocalipse 11 e de Apocalipse 7 (o Anjo que vem com o Selo do Deus Vivo, para a manifestação dos Ministérios de Moisés e Elias; das Duas Oliveiras) estará chamando e selando a cento e quarenta e quatro mil: doze mil de cada tribo; e assim estará restaurando o altar de Deus. Essa restauração estará sendo realizada.

E aí vamos deixar isto um pouco quieto; porque aí é onde a vitória do Deus de Israel será realizada. E depois diz, em Zacarias, capítulo 14, verso 9:

“E o SENHOR será rei sobre toda a terra. Naquele dia o SENHOR será um, e um será o seu nome.”

Isso será a vitória do Deus de Israel. Deus será Rei sobre toda a Terra, manifestado no Messias Príncipe que se sentará no Trono de Davi; e então o povo hebreu, e depois, também todas as nações, compreenderão que o Deus verdadeiro é o Deus de Israel: Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó (ou Israel); e então virá a Paz para Israel, a Paz para Jerusalém (onde estará o Trono do Filho de Davi) e a Paz para toda a humanidade. Refiro-me à Paz Divina, a Paz Imperecível; a qual se estenderá a Jerusalém, a todo Israel, e a todas as nações que estarão sob o reinado do Messias Príncipe. O Messias Príncipe é o Príncipe da Paz, por isso Ele é o único que pode trazer a Paz Imperecível.

A vitória do Deus de Israel será obtida sob o Ministério do quinto Elias. O desafio será no Monte de Sião; assim como teve um desafio no Monte Carmelo. O Reverendo William Branham, falando desse desafio – e vamos citar esta passagem... No livro “As Eras”...

Os pregadores nos diferentes países, ao pregarem, citam passagens bíblicas e citam também passagens de livros de teólogos, de doutores em divindade; de diferentes escritores também, como políticos, porque são livros dos quais se tomam textos para esclarecer o que está falando o pregador. Portanto tomarei do que disse o Reverendo William Branham. Também posso tomar de algum livro de algum teólogo. Isso é correto.

Agora, na página 190 do livro “As Eras” em espanhol (desta versão), diz: “É num tempo como este em que o mensageiro de Malaquias 4 deve vir (ou seja, como nos dias de Acabe e de Jezabel, e também do Profeta Elias – de Elias, o Tisbita). Depois, na Chuva Tardia virá um desafio semelhante ao daquele no Monte Carmelo.”

No tempo de quê? Da Chuva Tardia. A Chuva Temporã é sob a Dispensação da Graça, onde se prega a Mensagem do Evangelho da Graça. A mensagem do Evangelho da Graça é a Chuva Temporã.

E agora, a Chuva Tardia é a Mensagem do Evangelho do Reino, que estará sendo pregada sob o Ministério de Elias em sua quinta manifes- tação. Vamos conhecê-lo, porque ele estará pregando o Evangelho do Reino juntamente com o Evangelho da Graça; terá as duas Chuvas: o Evangelho da Graça e o Evangelho do Reino.

Será isso bíblico? Vamos ver se é bíblico, porque se está na Bíblia a Chuva Tardia e a Chuva Temporã, pois tem que se cumprir. Em Oséias, capítulo 6 nos diz da seguinte maneira:

“Vinde e tornemos para o SENHOR...”

Como fez o Profeta Elias. E a promessa em Malaquias 4 é que vai converter o coração dos pais aos filhos, assim como fez João Batista, que converteu o coração dos pais aos filhos. E agora vai converter o coração dos filhos aos pais. Diz:

“Vinde e tornemos para o SENHOR (é um chamado de Deus para o povo de Deus; para torná-los a Deus) ; porque ele despedaçou, e nos sarará; feriu, e nos atará a ferida (todos esses problemas que teve o povo hebreu foi isso).

Depois de dois dias nos dará a vida; ao terceiro dia nos ressuscitará, e viveremos diante dele.”

Um dia diante do Senhor é como mil anos, e mil anos como um dia, diz Segunda de Pedro, capítulo 3, verso 8, e o Salmo 90, verso 4. Vou verificar isto do Salmo para que o tenham claro, ainda que vocês o podem buscar depois (Salmo 90, verso 4).

E agora, diz: “Nos dará vida depois de dois dias.” Se vai lhes dar vida é porque não têm vida. São os ossos secos que viu Ezequiel, no capítulo 27, verso 1 ao 14.

E agora, nessa passagem são juntados os ossos; lançam nervos, tendões; lançam músculos e carne, e depois, pele; e aparece um exército grande em pé; mas não tem espírito. E o corpo sem espírito está morto. Mas isso são etapas da restauração para o povo hebreu, para ser restaurado ao Reino de Deus, ou seja, ao Reino de Davi.

O Espírito é chamado dos quatro ventos ou quatro ângulos da Terra.

Por quê? Porque está entre os gentios. E tem que regressar a Israel para que entre nesse povo, e seja um povo com vida: a Vida de Deus no meio dele, manifestada através do Seu Espírito, na chegada do instrumento que Ele tenha (ou tem) para esse tempo.

“... e viveremos diante dele...”

Ou seja, recebem a Vida, porque a presença de Deus virá no meio deles, manifestada no véu de carne que Deus tenha para essa ocasião.

“E conheceremos...”

Então terá um ensino: “Porque a Terra será cheia do conhecimento da glória de Jeová, como as águas cobrem o mar.” Diz em Habacuque, capítulo 2, verso 14; e também Isaías, capítulo 11 verso 9.

“E conheceremos, e prosseguiremos em conhecer ao SENHOR; (ou seja, se continuará recebendo o ensino da parte de Deus durante o Reino do Messias) ; como o alva está disposta sua saída...”

Malaquias 4, verso 2, nos diz da seguinte maneira:

“Mas para vós, os que temeis o meu nome, nascerá o sol da justiça, e cura trará nas suas asas; e saireis e saltareis como bezerros da estrebaria.”

Como virá? Como o Sol da Justiça. Ou seja: nascerá. E quando nasce o sol é pela manhã.

 “...como a alva está disposta sua saída (ou seja, como quando sai o sol e nasce o dia) , e Ele virá a nós como a chuva; como a chuva tardia e temporã à terra (aí têm a Chuva Temporã e Tardia).” [Oséias 6:3]

E agora, se vocês querem uma passagem das Mensagens do Reverendo William Branham, pregada no ano 59, no mês de dezembro, no dia 23, neste livro de “Citações” ou “Extratos”, página 32, parágrafo 273, diz:

“Nos últimos dias haveria uma chuva tardia; e a chuva temporã e tardia estariam juntas.”

Duas chuvas ao mesmo tempo: Temporã e Tardia – o Evangelho da Graça e o Evangelho do Reino. Mas os escolhidos saberão quando se está falando do Evangelho do Reino e quando se está falando do Evangelho da Graça:

“A primeira chuva foi no Leste (ou seja, na terra de Israel; de lá veio ou caiu a primeira chuva:  o  Evangelho da Graça) ;  a  chuva tardia é no Oeste.”

Como  os  judeus  trouxeram  o  Evangelho  da  Graça aos gentios, os gentios levarão o Evangelho aos judeus. A Chuva Temporã veio do Leste para cobrir a Terra; e a Chuva Tardia irá do Oeste, que é o continente americano, juntamente com a Chuva Temporã: o Evangelho da Graça e o Evangelho do Reino, para o Leste. Começa no Oeste e viaja para o Leste: para Israel, para o Oriente Médio. Quando vocês virem isso se movendo para o Leste, para o Oriente Médio, abram seus olhos!

“E na chuva tardia ambas as chuvas: temporã e tardia estariam juntas.”

Vêem como é simples? Vamos deixá-lo aí. E mantenham seus olhos bem abertos! Porque verão neste tempo final como esta Chuva Temporã e Tardia, de Oséias, capítulo 6, verso 1 ao 3, estará indo para Israel dentre nós, como a Chuva Temporã e Tardia. Isso é o que diz a Escritura.

Portanto, o que Deus terá que estar fazendo? O que Ele prometeu terá que aparecer. Diz:

“...conheceremos e prosseguiremos em conhecer ao SENHOR; como o alva está disposta sua saída, e Ele virá a nós como a chuva; como a chuva tardia e temporã à terra.”

Assim como vem a Chuva Temporã e Tardia à Terra, assim será para Israel a vinda e manifestação de Deus: com a Chuva Temporã e Tardia. E já vimos o que é isso. Recordem que depois que Elias realizou o sacrifício, tendo restaurado o altar com as doze pedras, e houve essa manifestação de Deus, depois disse a Acabe: “Sobe! Aparelha teu carro, porque uma grande chuva vem!” E veio a chuva.

Agora, Elias ouviu a chuva. Ninguém mais ouviu nada. Porque Elias a viu e a ouviu em outra dimensão. Depois subiu ao monte; ajoelhou-se; ajoelhado colocou sua cabeça entre suas pernas, e orou a Deus; e disse a seu servo: “Vai, e olha para o mar! E olhes pra lá e me digas o que vês.”

Elias orando, e, tendo visto em sua visão, está orando para que isso que ele vê seja materializado; ou seja, o está trazendo de outra dimensão para que se faça realidade nesta Terra. E o servo vai. Está no monte, e vai, e olha. Está no monte e olha para o mar; e o mar está para o Oeste. O mar representa – águas representam povos, nações e línguas. E olhando para o mar (que está ao Oeste). Pois de onde diz o Reverendo William Branham que estará e que virá a Chuva Tardia? No Oeste.

O servo disse – respondeu a Elias – regressou até Elias, e lhe disse: “Não vejo nada.” Mas Elias estava vendo em outra dimensão, e já tinha dito a Acabe: “Avança! Vá para tua casa! Uma grande chuva vem! Corre! Para que a chuva não te apanhe!”

Temos a promessa de uma grande Chuva. Está na Escritura. Portanto, temos que correr!

Quando o servo regressou a Elias, após ter olhado para o mar e não tinha visto nada... É como qualquer pessoa pode dizer: “Não vejo nada no Oeste. Tudo está bem tranqüilo. Não vejo uma manifestação grande; não vejo nenhum aguaceiro.” Mas eu o vejo na Bíblia! Portanto, esse aguaceiro (uma grande chuva) soa!

E agora, quando o servo diz a Elias: “Não vejo nada.”... Vêem? É que os céus estavam sem nuvens, porque estavam sob o juízo divino; pois Elias tinha ordenado... Vejam aqui, a chuva, e, portanto, a água que Israel precisava; vamos ver...

Enquanto muita gente às sextas-feiras sai para as festas... Em muitos países dizem que é sexta-feira social; por isso estão de festa: ao outro dia não levantam cedo; e gastam muito dinheiro; no meio do cristianismo se reúnem para escutar a Palavra e adorar a Deus; ter estudos bíblicos. É um dia muito bom para a pregação do Evangelho.

O mundo algumas vezes amanhece em suas festas, e, no outro dia alguns nem podem se levantar. Mas os filhos de Deus passam a noite contentes. Chegam a seus lares levando o gozo na alma, e seguem de festa espiritual em seus lares; e meditam enquanto estão deitados. Até que lhes chegue o sono meditam no que escutaram. Ou seja, estão fazendo a digestão. A sexta-feira é um bom dia para vigílias.

Capítulo 17 de Primeira de Reis, verso 1, diz:

“Então Elias tisbita, que era dos moradores de Gileade (ou seja, era das dez tribos; ou seja: do reino do Norte), disse a Acabe (Acabe era o rei, mas era idólatra, junto com Jezabel, que era gentia e idólatra também): Vive Jeová, Deus de Israel (está dizendo Elias; está dizendo a Acabe) , em cuja presença estou  (Elias estava na presença de Deus, pois

o Anjo de Deus estava com Elias),  que não  haverá chuva  nem orvalho nestes anos, senão por minha palavra.”

Ele, pela Palavra que Deus por meio de Seu Anjo falou através do Profeta Elias (pois o Anjo; Deus por meio de Seu Anjo estava falando através do véu de carne: Elias), ordenando que não haveria chuva; e agora diz: “Não haverá chuva, senão por minha palavra.” Ou seja, o mesmo que falou que não haveria chuva, para que a chuva viesse, tinha que falar.

E agora, Elias diz ao servo... Vejam. Não se desanimou. Elias podia escutar a seu servo dizer: “Fisicamente não vejo nada.” Ou seja: “Não vejo nada no Oeste.” Porque estava olhando para o Oeste, para o mar, que representa povos, nações e línguas. Mas Elias já tinha visto em outra dimensão. E ele sabia que não haveria chuva, senão por sua palavra. E para que haja chuva têm que aparecer nuvens; porque aí é que está a fórmula para a chuva.

E Elias disse ao servo: “Vai por sete vezes!” Agora, não disse: “Vai uma vez.” – “Vai sete vezes!” –  Vai, e vem! Vai, e vem! Vai, e vem! E lhe disse: “Não vejo.” “Vai, e vem!” “Não vejo ainda.” “Vai, e vem!” Mas depois, ao final, disse: “Agora vejo! Vejo uma nuvem pequena do tamanho da palma de uma mão.” Mas era uma nuvem. E, portanto, aí estava a fórmula da água .

A fórmula. Qual é a fórmula? H 2O. E isso explicado...? Dois o quê? Dois o quê de Hidrogênio...? Duas moléculas de Hidrogênio e uma de Oxigênio? Átomos? Dois átomos de Hidrogênio e um de Oxigênio. Isso é como dizer: Duas Oliveiras, e... o resto, pois, vocês sabem: Os Ministérios de Moisés e Elias, e de Jesus. Tão simples como isso.

Quando o servo vir isso, a Chuva já está segura. Essa é a fórmula para a Chuva Tardia e Temporã ao mesmo tempo. E vejam, cairia sobre as dez tribos: sobre o reino do Norte. E essa chuva viria pela Palavra de Deus através do Seu Anjo: o Anjo do Pacto, que estava manifestado no Profeta Elias; e falaria por meio de carne humana; e essa chuva viria.

Assim tem que ser neste tempo final. E então a vitória do Deus de Israel estará manifestada a favor de Israel e de todas as nações, que reconhecerão ao Deus de Israel como o único Deus verdadeiro. E por isso, no Reino do Messias, o Senhor será um, e um será Seu Nome; e o Senhor será Rei sobre toda a Terra. E aí Deus (o Deus de Israel) terá  a vitória sobre todos os deuses e sobre toda religião. Estará estabelecido o verdadeiro ensino do Deus de Israel. Os demais ensinos, de deuses alheios, desaparecerão. E também, toda pessoa que não ensine a revelação divina do verdadeiro Deus, deixará de existir também.

“Naquele dia Jeová será um, e um o Seu Nome. E o Senhor será Rei sobre toda a Terra.” Isto é, através do Messias, que será Rei. E haverá um só ensino religioso: o do Deus de Israel, que estará reinando através do Messias.

E agora, em outra ocasião explicaremos sobre a nuvem como a palma de uma mão. Aí numa mão temos os dedos também. E aí na palma da mão, até há uma letra. Assim que, “5” sempre nos fala de “Graça”; e também dos cinco ministérios que foram estabelecidos por Cristo em Sua Igreja: Apóstolos, Profetas, Evangelistas, Pastores e Mestres.

“A VITÓRIA DO DEUS DE ISRAEL.”

Foi para mim um grande privilégio estar com vocês, praticando neste estudo bíblico onde estivemos vendo ao Deus de Israel manifestado no Profeta Elias; Elias, o Tisbita. E também o vimos em Eliseu, onde operou o ministério de Elias por segunda vez; e o vimos em João Batista onde operou o ministério de Elias por terceira vez; e o vimos no Reverendo William Branham onde operou o ministério de Elias por quarta vez. E o estaremos vendo em sua quinta manifestação: a quinta manifestação do ministério de Elias neste tempo final, para Deus trazer a Chuva Temporã e Tardia para Israel; para que Israel (e também a Igreja de Jesus Cristo) tenham a vitória do Deus de Israel.

Se há alguma pessoa que ainda não recebeu a Cristo, no qual estava, está e estará eternamente o Deus de Israel, pode nesta noite receber a Cristo como único e suficiente Salvador, para que tenha a Salvação e Vida eterna e possa viver com Cristo em Seu Reino por toda a eternidade. Podem passar à frente, e estarei orando por vocês.

Quando a pessoa estuda ao povo hebreu e seu Deus (que é o Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó; o Criador dos Céus e da Terra) pode ver que Deus existe.

Nesse povo encontramos a manifestação do Deus Criador dos Céus e da Terra; e depois, encontramos a manifestação do Deus Criador dos Céus e da Terra na Igreja do Senhor Jesus Cristo, no meio do Cristianismo. Para o Reino Milenial se estará ensinando tudo o que o Deus de Israel fez em Dispensações passadas; na Dispensação da Graça através da trajetória da Igreja de Jesus Cristo, e o que estará fazendo na Dispensação do Reino.

Se vocês observarem a Bíblia, vocês encontrarão que o conteúdo é o que Deus esteve fazendo através da história da raça humana; portanto, Deus continua atuando no meio da raça humana, e teremos o registro no Reino Milenial de tudo o que Deus terá feito durante a Dispensação da Graça e o que estará fazendo durante a Dispensação do Reino; à medida que o for fazendo estará sendo escrito. E se algo nos passar (se nos esquecermos de algo) será recordado no Reino Milenial.

Quando o povo das dez tribos viu a manifestação de Deus quando Elias clamou que descesse o fogo; quando Elias orou, e disse a Deus: “Escuta-me! Responda-me com fogo!” (E Deus lhe respondeu). Quando Deus respondeu a Elias e o fogo desceu, o povo disse: “Jeová é Deus! Jeová é Deus!” Reconheceu que o Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó é o Deus Verdadeiro; e deixou os ídolos e toda coisa contrária ao que foi estabelecido pelo Deus de Israel.

Se faltar alguém por vir aos Pés de Cristo, pode vir. Nas demais nações que estão através do satélite ou da internet, podem vir a Cristo também, as pessoas que ainda não o receberam como Salvador.

Em Jesus Cristo estava, está, e estará eternamente, o Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó em toda Sua plenitude. A plenitude da Divindade estava, está, e estará eternamente em Jesus Cristo. Aí é onde vemos a manifestação de Deus: do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Em Deus há uma trindade; como no ser humano, o qual é trino.

Em Jesus Cristo vimos essa manifestação dessa trindade divina. Deus estava em toda Sua plenitude em Jesus Cristo. Isto é: a plenitude da Divindade em carne humana na Pessoa de Jesus; a única Pessoa em que vimos a plenitude da Divindade manifestada em carne humana.

Jesus Cristo é a maior Pessoa – a mais importante que já pisou neste planeta Terra; e foi quem recebeu todo poder no Céu e na Terra e se sentou no Trono de Deus. Ele é o Rei dos Céus e da Terra. Por isso estabelecerá Seu Reino na Terra. Por isso disse que todos os crentes nele, orando, pedissem a Vinda do Reino de Deus; para que se faça a Vontade de Deus: como no Céu, também na Terra (São Mateus, capítulo 6, verso 10).

Vamos estar postos em pé para orar pelas pessoas que vieram aos Pés de Cristo. Os que estão em diferentes nações (se faltar alguém por vir aos Pés de Cristo, pode vir); pode passar à frente para que fique incluído nesta oração. E também as crianças de dez anos em diante podem vir aos Pés de Cristo.

Vamos levantar nossas mãos ao Céu. E com nossos olhos fechados, repitam comigo esta oração, as pessoas que vieram aos Pés de Cristo nestes momentos. Os que estão em outras nações também:

Senhor Jesus Cristo, escutei Tua Voz, Tua Palavra, Teu Evangelho; e Tua fé nasceu em meu coração. Creio em Ti de todo coração. Creio em Tua Primeira Vinda. Creio em Teu Nome como o único Nome debaixo do Céu, dado aos homens, em que podemos ser salvos. Creio em Tua morte na Cruz do Calvário como o Sacrifício de Expiação por meus pecados e pelos de todo ser humano. Senhor, reconheço que sou pecador, e preciso de um Salvador, preciso de um Redentor.

Senhor Jesus Cristo, dou testemunho público de minha fé em Ti, e Te recebo como meu único e suficiente Salvador. Rendo-me a Ti. Entrego-me a Ti em alma, espírito e corpo. Salva-me, Senhor! Perdoa meus pecados! E com Teu Sangue me limpa de todo pecado. E batiza-me com Espírito Santo e Fogo, e seja produzido em mim o novo nascimento depois que eu for batizado em água em Teu Nome. Quero entrar em Teu Reino; quero nascer da Água e do Espírito; quero, Senhor, entrar em Teu Reino eterno; quero nascer à Vida eterna e na Vida eterna; quero viver Contigo por toda a eternidade em Teu Reino.

Senhor Jesus Cristo, salva-me! Eu Te rogo em Teu Nome Eterno e glorioso, Senhor Jesus Cristo. Amém e amém.

E com nossas mãos levantadas a Cristo, ao Céu, todos dizemos:

O Sangue do Senhor Jesus Cristo me limpou de todo pecado! O Sangue  do   Senhor  Jesus  Cristo   me  limpou  de  todo  pecado!  O Sangue do Senhor Jesus Cristo me limpou de todo pecado! Amém e amém.E agora, vocês me dirão... Cristo disse:

“Ide por todo mundo, e pregai o evangelho a toda criatura.

Quem crer e for batizado, será salvo; mas quem não crer, será condenado.” (São Marcos, capítulo 16, verso 15 ao 16).

Vocês me dirão: “Escutei a pregação do Evangelho de Cristo. A fé de Cristo nasceu em minha alma; e dei testemunho público da minha fé em Cristo, recebendo-o como meu único e suficiente Salvador.”

A fé vem pelo ouvir, pelo ouvir a Palavra de Deus (o Evangelho de Cristo); e com o coração se crê para justiça; mas com a boca se confessa para salvação.

E agora, vocês escutaram. A fé de Cristo nasceu em vossa alma. Creram, e deram testemunho público de vossa fé em Cristo com vossa boca. Com a boca se confessa a Cristo para Salvação.

E agora, me dirão: “Quero ser batizado em água o mais rápido possível. Ele disse: ‘Quem crer e for batizado, será salvo.’ Quero cumprir o Mandado de Cristo por completo. Quando podem me batizar?” É a pergunta de vocês. “Quero ser batizado o mais rápido possível!” É o anseio do profundo de vosso coração. Porquanto vocês creram em Cristo de todo coração, bem podem ser batizados em água no Nome do Senhor Jesus Cristo, que é o Nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.

Por isso os apóstolos batizavam no Nome do Senhor Jesus Cristo a todos os que criam; batizavam-nos em seguida que criam; porque a meta é que Cristo as batize com Espírito Santo e Fogo e produza nas pessoas o novo nascimento. Ou seja, a meta é obter o novo nascimento, e, portanto, nascer no Reino de Deus; entrar ao Reino de Deus. A pessoa sem receber o Espírito de Deus não nasceu de novo; por isso Pedro disse: “Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado no Nome de Jesus Cristo para perdão dos pecados; e recebereis o dom de Espírito Santo.” [NT – Atos 2:38] Primeiro ser batizado depois de crer; e depois receberão o Espírito Santo. Essa é a ordem estabelecida.

E agora, podem ser batizados em água no Nome do Senhor Jesus Cristo. E pergunto ao ministro, Reverendo Salomão Cunha, se há água? Há água; há batistério. Há roupas batismais? Há roupas batismais também. Há vestiários de roupa? Há pessoas que lhes ajudarão a chegar aos vestiários de roupa? Há ministros que lhes batizarão? Também há ministros que lhes batizarão. Portanto, bem podem ser batizados em água no Nome do Senhor Jesus Cristo. E que Cristo lhes batize com Espírito Santo e Fogo produza em vocês o novo nascimento. E continuaremos nos vendo por toda a eternidade no glorioso Reino de nosso amado Senhor Jesus Cristo.

Deixo ao Reverendo Salomão Cunha para que lhes indique para onde se encaminharem para colocarem as roupas batismais e serem batizados em água no Nome do Senhor Jesus Cristo, como faziam os apóstolos no tempo do Dia de Pentecostes em diante, para depois as pessoas receberem o Espírito Santo.

Quando Pedro pregou no Dia de Pentecostes, e como três mil pessoas creram, batizaram-nas no Nome de Jesus Cristo para que recebessem depois o Espírito Santo. Vocês sempre encontrarão que, em seguida que pregavam, e as pessoas criam, batizavam-nas rapidamente.

O carcereiro de Filipos quando creu naquela noite em Silas e Paulo que estavam cantando, e se abriram as portas, e o carcereiro ia se matar, Paulo e Silas lhe disseram: “Não te faças dano! Todos estão em seus lugares.” Ainda que as portas tinham se aberto, e a terra tinha tremido; e então o carcereiro tirou Paulo e Silas, os quais estavam cantando; estavam muito contentes NT – Atos 16:19-34].

Vejam, nos cânticos, quando se louva a Deus, abre-se a dimensão divina. O salmista tinha essa experiência também.

E agora, houve uma manifestação grande quando Paulo e Silas estavam cantando hinos. E agora, depois explicaram ao carcereiro... Com certeza ele estava escutando esses cânticos. Paulo pregando com cânticos. Assim que, o carcereiro já estava escutando a pregação. Depois Paulo e Silas lhe falam de Cristo; o carcereiro pergunta: “Que farei para ser salvo?” “Crê no Senhor Jesus Cristo, e serás salvo, tu e tua casa.”

Naquela hora da noite lavou as feridas deles (pois os tinham açoitado), levou-os à sua casa, e lá, Paulo e Silas falaram à família; batizaram-nos naquela noite; e também comeram. Não tiveram que esperar o café da manhã na prisão, mas na casa do carcereiro. Ali comeram bem. E  mais  do  que  tudo: creram em Cristo, e foram agregados à Igreja.

Naquela mesma noite foram batizados. Porque a meta é que creiam, sejam batizados, e que Cristo as batize com Espírito Santo e Fogo e seja produzido nas pessoas o novo nascimento. Para isso é que Cristo ordenou a ir por todo mundo pregando o Evangelho a toda criatura; e quem crer e for batizado será salvo.

Cristo a batizará com Espírito Santo e Fogo e produzirá o novo nascimento na pessoa; e, portanto, entrará assim ao Reino de Deus. Porque quem não nascer da Água e do Espírito: da pregação do Evangelho de Cristo e do Espírito Santo, não pode entrar ao Reino de Deus.

Vocês tiveram a bênção de receber a Cristo como Salvador. Quando a pessoa recebe a Cristo, morre para o mundo. Quando o ministro o submerge nas águas batismais, tipológicamente está sendo sepultado. E quando o levanta das águas batismais, estás ressuscitando a uma nova vida: à Vida eterna com Cristo em Seu Reino eterno, para viver com Cristo por toda a eternidade no Reino de Cristo.

Assim é como se assegura o futuro eterno com Cristo em Seu Reino eterno. Que outra pessoa pode te assegurar seu futuro eterno? Não há. Somente Jesus Cristo.

Vamos deixar ao Reverendo Salomão Cunha com vocês nestes momentos. E em cada nação deixo ao ministro correspondente para que lhes indique para onde se encaminhar para receberem as roupas batismais e serem batizados em água no Nome do Senhor Jesus Cristo.

Que Deus lhes abençoe e lhes guarde. E continuem passando uma noite cheia das bênçãos de Jesus Cristo, nosso Salvador.

“A VITÓRIA DO DEUS DE ISRAEL.”

0.0
Última Modificação: -/-
william soto santiago

Sem comentários ainda...

Deixe um Comentário

Seu e-mail não será publicado, fique tranquilo.